Parâmetros para o desenvolvimento do estágio na disciplina de POEB



Objetivo

Propiciar aos alunos subsídios para analisar criticamente, e de forma contextualizada, os impactos das políticas públicas sobre os processos educativos, bem como acompanhar e/ou participar em diferentes espaços socioinstitucionais e em distintas organizações educativas que constituem campo de uma possível atuação profissional desses futuros educadores.

Caracterização

Realização de atividades, com acompanhamento e orientação do professor, sobre temas e problemáticas específicas à política brasileira para educação básica (dentre eles: formação profissional, emprego, cooperativismo, ensino público, ensino privado, evasão, repetência, gestão, processos simbólicos, relações de gênero e etnia, trocas culturais entre comunidades e escolas, entre outros), que estão relacionados com um ou mais dos seguintes níveis e modalidades de ensino: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, educação de jovens e adultos, educação especial, educação profissional, ação cultural.

O estágio deve se caracterizar como
estudo exploratório desses níveis e modalidades de ensino, mas também pode ser uma instância de elaboração de projetos ou intervenção ou de acompanhamento e participação propriamente dita. Dessa maneira, pode abranger:

1) Políticas governamentais para a educação básica nas diferentes esferas (federal, estadual ou municipal). Por exemplo: plano nacional de educação (do MEC); legislação educacional; financiamento da educação; gestão dos sistemas; procedimentos de planejamento, implantação e avaliação das propostas. Essas políticas podem ser examinadas em um ou mais dos diferentes locais de sua concepção e/ou execução, tais como: MEC e outros ministérios que se articulam com a Educação, secretarias, conselhos municipais ou estaduais, serviços nacionais de aprendizagem (industrial, comercial, rural e de transporte), SESC, entre outros.

2) Propostas e ações da sociedade para a educação básica nas suas diferentes concepções. Por exemplo: plano nacional de educação (da sociedade civil); discurso e/ou propostas empresariais (CNI, FIESP, Instituto Herbert Levy, PNBE, ABRINC etc.); propostas/ações de sindicatos e centrais sindicais no campo da educação, formação e qualificação profissional; iniciativas de movimentos populares e/ou organizações não governamentais (ONGs) no âmbito da educação (escolas comunitárias, propostas do MST, ações de entidades feministas etc.); atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas pela própria USP – Reitoria e Pró-Reitorias, projetos multidisciplinares e outros que envolvam professores, alunos e funcionários relacionados com educação; impacto das políticas públicas nas produções culturais e simbólicas presentes na estruturação pedagógico-administrativa de instituições públicas de pesquisa científica, centros e oficinas de arte e cultura, museus científicos e didáticos, entre outros temas, como por exemplo: Museu da Ciência, Instituto Butantan, IEB, Instituto Cultural Itaú, Instituto Moreira Salles, Instituto Tomie Ohtake, Museu da Pessoa, Oficina Brincante, Associação Cachuêra, Centro Cultural São Paulo, Fundação Parque Zoológico, Museu da Imagem e do Som, SESCs, Museu do Imigrante etc.